Conheça alguns dos queijos mais caros do mundo

Conheça alguns dos queijos mais caros do mundo

19 de junho, 2022

O queijo é, sem dúvida, um dos melhores produtos lácteos que existe. Sua fabricação é bastante laboriosa, pois requer muita paciência, conhecimento e trabalho. O processo de maturação, ou a cura, de um bom queijo pode durar vários dias, meses ou até mesmo anos.

A procedência e raridade dos seus ingredientes, a dificuldade em sua elaboração ou a duração de sua maturação são alguns dos fatores que podem influenciar no preço de um queijo. Assim, existem queijos que podem custar tanto quanto um caviar fino ou um champagne francês.

As queijos descritos a seguir são alguns dos mais caros do mundo.

Gorau Glas

Este queijo azul feito no Reino Unido, especificamente em uma pequena fazenda em Anglesey, é feito com leite de vaca por Margaret Davis.

Vencedor de muitos prêmios, começou a ser vendido a um preço modesto, mas sua popularidade e o fato de ter recebido inúmeros prêmios fizeram com que seu preço disparasse, até se tornar um dos queijos mais caros do mundo.

Um queijo feito em pequenas quantidades, com textura cremosa e o sabor de suas inoculações azuis cuidadosamente cultivadas.

O seu preço gira em torno dos 70 euros por quilo.

Beaufort d’Éte

Conhecido como “o príncipe dos queijos”, o Beaufort é um dos queijos mais famosos do mundo. São necessários cerca de 500 litros de leite para fazer uma única peça deste queijo, que pesa cerca de 45 quilos.

O Beaufort é curado em um ambiente com 92% de umidade, a uma temperatura abaixo de 15 graus e por um mínimo de 18 meses, resultando em um queijo frutado, de cor marfim, com sabor de nozes, amanteigado e ervas secas.

O leite utilizado para produzir este queijo vem de vacas da raça Beaufort, nas montanhas da região de Haute Savoie, no sudeste da França. A produção deste queijo não é nova, data de 2000 anos antes da ocupação romana da França, até 1976, quando o governo francês lhe concedeu a designação protegida de Beaufort AOC*.

Durante sua maturação, os sabores do queijo Beaufort se concentram e se desenvolvem, chegando a ser extremamente profundos e complexos, especialmente nos queijos elaborados com o leite de verão.

Custa cerca de 80 euros por quilo.

Winnimere

Em 1998, os irmãos Andy e Matthew Kehler compraram a dilapidada Fazenda Jasper Hill, em Vermont (EUA), e gradualmente foram fazendo um rebanho de novilhas Ayrshire. Após cuidadoso gerenciamento e excelente escolha da genética do rebanho, eles agora têm uma das melhores fazendas leiteiras americanas.

O leite de vaca Ayrshire tem propriedades excepcionais para a fabricação de queijo, devido a sua relação proteína/gordura, resultando no Winnimere, um queijo de casca lavada que é curado por dois meses e escovado regularmente com uma cerveja de estilo local.

Cada queijo Winnimere é rodeado por uma tira de casca de abeto, que ajuda a manter sua forma e transmite aromas amadeirados, embora também estejam presentes aromas de amêndoa e ervas.

Custa em torno de 80 euros por quilo.

Cacio Búfala

O leite de búfala tem quase o dobro da gordura do leite de vaca, o que significa que produz alguns dos queijos mais cremosos do mundo. O Cacio Búfala é feito na Casa Madaio, em Cilento, Campania (Itália) e é maturado durante um período entre 8 meses e um ano, em caves especialmente dedicadas a ele.

Este queijo amarelo marfim tem uma textura compacta, é semi-duro e tem um sabor muito agradável do leite de búfala, com notas cremosas e amanteigadas que o fazem derreter instantaneamente na boca.

O seu preço ronda os 80 euros por quilo.

Jersey Blue

Produzido na Suíça, com leite de vacas Jersey, este queijo azul em forma de cúpula é inicialmente envelhecido em porões e prensado em formas com veios que moldam o queijo, para que os bolores azuis possam se desenvolver e invadir o queijo.

O Jersey Blue tem uma textura rica, com um aroma um pouco rançoso no início, que se torna ligeiramente picante uma vez cortado, mas retém o sabor terroso do leite cru.

O seu preço é de cerca de 80 euros por quilo.

Époisses

Este queijo francês, da região da Borgonha, é um dos queijos de casca lavada mais conhecidos. Os primeiros queijos desta variedade foram criados por monges da Abadia de Cîteaux no século XVI. Era um dos queijos favoritos de Napoleão e atingiu seu auge em meados do século XIX, mas praticamente desapareceu durante a Segunda Guerra Mundial. Foi ressuscitado após a guerra e, em 1991, acabou obtendo o reconhecimento da AOC.

Este queijo é feito de leite de vaca cru, seguindo um complexo processo artesanal. A casca é primeiro lavada com água salgada e depois mantida em uma cave úmida, antes de ser lavada novamente duas ou três vezes por semana com água da chuva e uma aguardente chamada Marc de Bourgogne. Amadurece por até dois meses.

De forma cilíndrica, com uma casca laranja brilhante e uma pasta flexível e untuosa. Sua principal característica é seu cheiro forte, pungente e penetrante, o que levou à sua proibição do transporte público.

Seu preço é de cerca de 80 euros por quilo.

Caciocavallo podolico

Este queijo de origem italiana, da região da Campania, é feito com leite cru de vacas de uma raça rara, a podólica. A dieta destes animais nas montanhas italianas é baseada em urtigas, mirtilos, morangos silvestres, roseirais, espinheiro, zimbro e cerejas, sabores que mais tarde podem ser degustados no queijo.

É um queijo de corda, pois a coalhada é esticada em uma bola. Este queijo tem uma forma incomum porque os queijos jovens são amarrados com cordel – para fazer um “pescoço” – e depois suspensos em uma haste de madeira para amadurecer.

A maturação, de três meses a um ano, é feita no refúgio dos pastores na montanha e seu nome original parece ser derivado do método tradicional de transportá-los, com alforjes nos flancos dos cavalos.

Seu preço é cerca de 85 euros por quilo.

Rogue River Blue

Vencedor do prêmio da American Society Awards Best in Show de 2009, este queijo feito de leite de vaca cru, tipo azul com uma bela casca natural, é envelhecido por um período mínimo de um ano. Os queijos são virados várias vezes por semana durante este período e o processo de cura ocorre em caves semelhantes às utilizadas para envelhecer o Roquefort.

Os sabores deste queijo variam de toques de pinheiros amaderados, até frutos silvestres, cogumelos e peras. Cada um é envolto em folhas de videira colhidas no vale do rio Rogue, o que acrescenta complexidade extra a seus sabores, além de proteger sua textura cremosa e úmida.

O seu preço é de cerca de 87 euros por quilo.

Old Ford

O Old Ford é um queijo semi-duro feito com leite de cabra cru. No verão, quando as temperaturas são altas, leva três meses para a maturação completa, enquanto no outono leva até oito meses para completar este processo, resultando em um queijo mais intenso e denso do que na estação quente.

Fabricado por Mary Holbrook, na Grã-Bretanha, tem uma textura firme e terrosa com tons florais que fazem "cócegas" na língua, com uma crosta crocante ou marrom-acastanhada arenosa e um interior branco como a neve, o seu preço é de cerca de 110 euros por quilo.

Extra Old Bitto

Este queijo de origem italiana foi introduzido em Hong Kong por um importador, que conseguiu vendê-lo a um preço exorbitante, apesar de tais queijos curados não serem do gosto asiático.

Feito com uma combinação de leite de vaca e de cabra, o Bitto não é um queijo fácil de se fazer, pois leva 10 anos para amadurecer. Produzido pela primeira vez em 1997, a partir de um processo de produção muito longo, é agora vendido em todo o mundo.

O seu preço é de cerca de 255 euros por quilo.

Wyke Farms Cheddar

Um cheddar clássico envelhecido, com a adição de trufa branca e folha de ouro, o que empurra seu preço para cima de forma ultrajante.

Fabricado pela Wyke Farms, em Somerset (Reino Unido), este cheddar já ganhou inúmeros prêmios e é considerado um item de luxo, por acrescentar sabor extra a muitos alimentos.

O seu preço é de cerca de 340 euros por quilo.

White Stilton Gold

Um queijo Stilton ao qual também foi adicionado ouro comestível, sendo, portanto, considerado uma das variedades mais caras do mundo. Feito por Long Claawson Dairy, em Leicestershire (Inglaterra), esta edição limitada de Natal foi um dos queijos estrela de celebridades e milionários.

Quase 97 vezes mais caro que um Stilton clássico, nesta edição especial de queijo quando cortada se podem ver os depósitos de ouro comestível.

A 765 euros por quilo, é um queijo para poucos.

Moose Cheese

A Moose House, em Bjurholm (Suécia), é conhecida por seus laticínios de alces, únicos no mundo. Existem apenas três exemplares que dão leite para esta requintada variedade de queijo, uma das mais caras do mundo.

O leite do alce só pode ser ordenhado entre maio e setembro, o que implica em uma produção muito exclusiva, com um rendimento de 240 quilos de queijo por ano, com seu preço girando em torno de 773 euros por quilo.

Queijo Pule

Um dos queijos mais procurados do mundo é esta variedade feita com leite de asno dos Balcãs. Apenas alguns exemplares desta espécie estão disponíveis, na área de Zasavica, tornando-o um queijo caro e raro, pois requer até 25 litros de leite para fabricá-lo, o que rende apenas um quilo de queijo. Seu preço é de cerca de 979 euros por quilo.

Em resumo, podem ser vários os motivos pelos quais um queijo atinge preços exorbitantes no mercado. Agora que você conhece algumas das variedades mais caras do mundo, você estaria disposto a pagar o preço para degustar essas iguarias?

 

Nota:

*A França leva seu queijo tão a sério que possui todo um sistema de controle, denominado "Appellation d'Origine Contrôlée" (AOC). Isso significa “denominação de origem controlada” e serve para proteger a autenticidade do queijo. AOC não é apenas para queijo – manteiga, vinho e até produtos como lavanda e lentilhas estão sob os auspícios do escritório governamental Institut National des Appellations d’Origine, agora chamado Institut National de l’Origine et de la Qualité (INAO).

Essas organizações governam e protegem de perto a produção e a autenticidade dos alimentos que supervisionam. Por exemplo, para que um queijo receba o nome protegido pelo AOC “Cantal”, ele deve vir das montanhas Cantal em Auvergne, a partir do leite de inverno das vacas Salers, feito de acordo com uma metodologia específica e envelhecido por no mínimo um mês.

 

Fonte: Directo al Paladar

  • EUA: Jersey bate todos os recordes de produção mais uma vez

    Marcelo de Paula Xavier

    Produtor Rural, Administrador de Empresas e Mestre em Agronegócios

    EUA: Jersey bate todos os recordes de produção mais uma vez

  • Velocidade de ordenha e lesões nos tetos

    Jeferson Luiz Piccoli

    Especialista em Sistemas de Ordenha

    Velocidade de ordenha e lesões nos tetos

  • Qual devo escolher: Transferidor ou Canalizada?

    Jeferson Luiz Piccoli

    Especialista em Sistemas de Ordenha

    Qual devo escolher: Transferidor ou Canalizada?

Proluv
Top